O investimento publicitário no digital está a crescer. Essa é uma realidade que ninguém coloca em dúvida e acontece quer em Portugal, quer a nível internacional. Nos Estados Unidos da América, em 2016, o investimento no digital superou o alocado em televisão, pela primeira vez na história, realidade que ainda não se verifica em Portugal mas onde o digital é o meio que mais cresce.

E se as marcas olham para o digital, olham também com muita atenção para as redes sociais, que representam já cerca de um terço do total do investimento em digital, onde, não só os jovens mas a maioria da população passa grande parte do tempo quando está ligada à internet. A forma como consumimos esse meio, muito através do mobile, está a levar as marcas e as agências a desenvolverem novos formatos publicitários uma vez que o consumo deste meio se faz, maioritariamente com o smartphone em posição vertical.

Facebook, Instagram e Whatsapp bem como o Facebook Messenger, todos pertencentes ao mesmo grupo, são hoje as redes sociais de referência da população e em Portugal, cerca de 60% dos dispositivos ligados à internet são smartphones.

Perante este panorama, e com uma evolução cada vez mais acelerada nesta área, é necessário acompanhar as regras do universo das redes sociais como por exemplo, os diferentes formatos de  marketing conteúdo.

 

Fonte: Imagens de Marca

Artigos

Comunicação digital integrada. Redes Sociais

  Por exemplo, o Instragram é uma rede social muito visual, que permite contar histórias através de fotografias e vídeos. Mas, se pensa que apenas é útil para empresas que tenham produtos para mostrar, está Ler mais...

Um logótipo não é uma marca.

Um logótipo não é uma marca. Uma marca é muito mais do que um nome, um logótipo ou um site. A marca é um todo. Chegam até à nossa agência, muitas empresas e empreendedores que querem Ler mais...

Queremos contar a história da sua Quinta. Vindimas 2017

  A Gavinha – Agência de comunicação está focada em três sectores âncora na região do Douro,  o Turismo, o Vinho e as Tradições . O mercado da comunicação na Região Demarcada do Douro ainda está muito Ler mais...